quinta-feira, 20 de Maio de 2010

Tourada


Introdução

Decidimos escolher este tema porque apreciamos a arte de tourear mas chegamos à conclusão que não sabíamos muito sobre touradas por isso fomos pesquisar sobre este assunto.

Tópicos a abordar:

  • Diferentes Fases da tourada
  • Tipos de Pega
  • Principais toureiros actuais
  • Forcados Amadores Portugueses
  • Grupos Anti-touradas
  • Principais Praças de Touros em Portugal
  • Principais Ganadarias

Iremos também fazer uma entrevista a um antigo forcado do grupo dos Forcados Amadores de Santarém.

Iremos usar fontes de pesquisa como a Internet e revistas sobre touradas.

Cortesias

As cortesias marcam o início das corridas de touros à portuguesa. No início da corrida todos os intervenientes (cavaleiros, forcados, bandarilheiros, novilheiros, campinos e outros intervenientes) entram na arena e cumprimentam o público, a direcção da corrida e figuras eminentes presentes na praça.

Nas corridas de gala à antiga portuguesa a indumentária é de rigor e na arena desfilam coches puxados por cavalos luxuosamente aparelhados.Lide a Cavalo

Todo o decorrer da corrida de touros à portuguesa consiste na "lide" de seis touros, habitualmente. Cada um dos touros é lidado por um cavaleiro tauromáquico, que tem um determinado tempo durante o qual poderá cravar um número variável de farpas compridas (no início), curtas e de palmo (ainda mais pequenas) no dorso do animal.


Lide a Pé

Os touros podem alternativamente ser "lidados" por um toureiro a pé (embora isto seja menos comum nas touradas portuguesas), que também crava as bandarilhas, um par em simultâneo, no dorso do touro. Outra faceta da lide a pé envolve o uso de uma pequena capa (a muleta) e de um estoque. Em Portugal é proibida a morte do touro na praça (com excepção da vila de Barrancos), mas noutros países a lide a pé culmina na morte, por estocada, do animal.

Pega

Existem vários tipos de pegas, as mais conhecidas e utilizadas nos nossos dias são a pega de caras e a pega de cernelha.

Na pega foram marcados os tempos do toureio: parar, mandar e templar. “Parar” quer dizer que o forcado durante uns momentos se mantém quieto e firme, demonstrando a sua valentia. O aguentar é como que um parar reforçado. Templar significa ajustar a velocidade ao recuar, trazendo o toiro embebido na figura do forcado para o humilhar.

Quando um forcado pelo seu saber e valentia consegue vencer o medo e alcançar o domínio, pode dizer-se que atingiu a perfeição, mas isto só é atingido quando demonstra naturalidade durante a pega.
Alguns forcados conseguem reunir as três qualidades (coragem, técnica e arte) e quando executam a pega, criando beleza ante o perigo, serenos e dominadores conseguem transmitir ao público uma impressão de facilidade que se transforma em arte: a arte de pegar toiros.

O forcado necessita de estar bem fisicamente, aguentando as dificuldades iniciais, até chegarem as ajudas e o rabejador.

Pega de caras

Após a lide do touro pelo cavaleiro é comum entrar em cena o bandarilheiro que faz algumas manobras com um capote posicionando o touro para a pega. De seguida entram em cena os forcados. Os forcados são um grupo amador que enfrenta o touro a pé com o objectivo de conseguir imobilizar o touro usando só a força de braços. Oito homens entram na arena, sendo primeiro o forcado da cara, seguindo-se os chamados ajudas, primeiro e segundo ajuda (os mais determinantes) e demais forcados que também ajudam na pega, terminando no rabejador que segura no rabo do touro, procurando deter o avanço do animal e fixá-lo num determinado local para quando os seus ajudantes o largarem este não vá contra eles. A pega é quando o forcado da cara se mantém seguro nos cornos do touro e este está detido e imobilizado pelos seus companheiros.

Pega de Cernelha

Também a pega de cernelha obedece a uma técnica. Executada por dois elementos, o cernelheiro e o rabejador, esperam o touro para tentar a sua sorte. A pega é feita por um elemento agarrado de lado e outro ao rabo do touro.

O cernelheiro e o rabejador esperam o encabestrar do touro para poderem tentar a entrada sem serem vistos. Depois da entrada, o objectivo da pega de cernelha é o mesmo da pega de caras, imobilizar o touro para que a pega se considere realizada.


Principais Toureiros

Os principais cavaleiros são:

João Ribeiro Telles

António Ribeiro Telles

João Salgueiro

Joaquim Bastinhas

João Moura

Rui Salvador

Luís Rouxinol

Ana Baptista


Principais Grupos de Forcados Amadores

Santarém

Montemor

Lisboa

Vila Franca de Xira

Coruche

Aposento da Moita

Évora

Alcochete

Cascais

Aposento da Chamusca

Principais Ganadarias

Ortigão Costa

Passanha

Murteira Grave

Pégoras

Manuel Coimbra

Infante da Câmara

Manuel Veiga

Críticas

Existe muita gente que aprecia a tourada mas obviamente também há muita gente que se opõe à prática de touradas. Neste grupo inserem-se por exemplo os grupos de defesa dos direitos dos animais pois consideram um acto de crueldade sem justificação para com os touros. Com isto, muitas pessoas se manifestam fazendo protestos em frente às praças de touros onde irá decorrer uma corrida (praticamente só mesmo no dia da corrida).


Bibliografia

http://pt.wikipedia.org/wiki/Tourada

http://www.tauromania.pt/calendario.php

http://touros-e-touradas.blogs.sapo.pt/2009/04/


Conclusão

Gostamos de fazer este trabalho pois alcançamos o nosso objectivo que era aprender mais sobre tourada. Nós tivemos oportunidade de escolher o tema e por isso gostámos do tema logo à partida.

Com este trabalho conseguimos saber que para tourear ou pegar um toiro é preciso muita arte e engenho. A tourada conta com muitos aficionados mas também tem algumas críticas dizendo que é uma violação dos direitos dos animais.